terça-feira, maio 15, 2007

Non c’è nessuno

Non c’è nessuno che ama la luna come le stelle del ciel!
Non c’è nessuno che ama la riva come le onde del mar!

Anch’io ti amo, lo sai: vorrei sempre restare con te...
E invece devo partir: ma l’amore non deve finir.

Quanto ti amo, lo sai: vorrei sempre restare con te...
Anche se tu partirai, resteremo insieme perché

quando tramonta lontano la luna. resta l’attesa del ciel:
quando scompare lontano la riva, resta l’attesa del mar!

Não há ninguém que ame a lua como as estrelas do céu! Não há ninguém que ame o rio como as ondas do mar! Até eu te amo, sabes: gostaria de ficar sempre contigo... E no entanto devo partir: mas o amor não deve acabar. Quanto te amo, sabes: gostaria de ficar sempre contigo... Mesmo se tu partires, ficaremos juntos porque quando a lua se põe permanece a espera do céu; quando o rio desaparece ao longe, permanece a espera do mar!

O grande Péguy dizia "Para se esperar minha filha é preciso ser-se muito feliz, é preciso ter-se recebido, alcançado, uma grande graça". A esperança cristã não nasce de uma ilusão, de um sonho, mas de um encontro. Essa música é reflexo disso.

2 comentários:

Pedro Telles e Castro disse...

BLOCO DE ESQUERDA, BLOCO DE ESQUERDA!

Pedro Telles e Castro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.