quarta-feira, abril 18, 2007

Anedotas e futebol nas conversas com Bento XVI

O Secretário de Estado do Vaticano, o Cardeal Tarcisio Bertone, revelou numa entrevista à RAI que inicia as suas reuniões com Bento XVI contando uma piada e que às vezes também fala sobre futebol.
.
O Cardeal Bertone explicou que antes de começar a falar de temas "muito mais sérios e mais graves da Igreja e do mundo" começa com a última anedota, para iniciar a reunião com uma gargalhada. Noutros casos, comenta com o Papa o Campeonato Italiano de Futebol.
.
D. Tarcisio Bertone conhece o Papa há muitos anos, já que os dois trabalharam juntos na Congregação para a Doutrina da Fé. Deste contacto pessoal destaca que Bento XVI "é espontâneo", e que a primeira impressão quando alguém o conhece é "a sua grandeza e simplicidade".
.
"Quem teve a oportunidade de falar com ele durante um momento, nas audiências, destaca o seu olhar penetrante, a sua capacidade de ouvir, de dizer sempre a palavra certa, ou seja, um amigo para sempre", explicou.
.
Reconhecendo que nem sempre é esta imagem difundida, a respeito de Bento XVI, o Secretário de Estado do Vaticano admitiu que "há um problema de comunicação" e pediu um esforço à imprensa para "comunicar aquela que é a autêntica personalidade do Papa e da vida e experiência da Igreja".
.

21 comentários:

Anónimo disse...

Bernardo, sou desde quase o pricipio leitor assiduo deste vosso espaço. Espantei-me com a qualidade do que escreviam, e com a verdade e coerencia com que respodiam aos comentários que vos faziam.
Este blog é ainda a minha companhia diária, sou advogado , escrevo e leio centenas de páginas por dia. Nos meu momentos de pausa procuro espaços com interesse, para desanoviar a minha cabeça.

Lamento dizer-lhe que este Post que você escreveu, peca em varios factores. pode ate ser engraçadinho, mas constitui um vazio de informação, e nao traz nada de novo á vida de quem o lê.

Ter um blog é acima de tudo uma responsabilidade, nos termos em que vocês assumem o vosso, é uma resposabilidade a dobrar.

Simpatizo com o movimento Comunhão e Libertação, leio sempre que posso a vossa pubicação mensal "Passos" e já li e estudei alguns livros de Don Giussani.

Simpatizo com o Movimento porquê?
Porque Don Giussani fazia um permanente testemunho da sua vida.
É facil amar Cristo atraves daquele homem, pela sua presença, força, e pela forma como me sentia atraido pela aquela amizade de que ele tanto Testemunhava.

Don Giussani fez da sua vida um extraordario testemnho de Cristo da qual resultou um extraordinário testemunho de vida.

Voltando a este vosso espaço:
Bernardo, para quê citar quotidianamente a "agência ecclesia"?.
Quem procura um blog como este nao procura nem citações da "Agencia Ecclesia" nem curiosidades menores para contar em reuniões de trabalho, impressionar clientes ou juizes, ou contar ao jantar com a familia.
Procura mais!!
Eu venho aqui, nao porque quero saber o que diz a Eclesia, nem o Blog do Pai do vosso amigo.
(Porque nao ha juizo vosso da
Conferencia do Padre Cárron?
Pode haver testemunhos bons na internet, mas nao seria interessante perceber porque é foi uma coisa importante para vocês a presença de tão ilustre pessoa do vosso Movimento?)

Leio "Os Samurais de Cristo" para que o vosso testemunho me clarifique. Nao para ler textos gordos copiados de paginas acessiveis a todos.

Eu sei que um blog exige ter muito tempo!Mas ninguem vos exige que escrevam todos os dias, desde que o façam de uma forma periodica, com qualidade, e seriedade.
Lamento, mas não me parece que o "copy paste" seja um arguemento nem de qualidade, nem de seriedade.Sou muito critico desta forma de trabalhar. Esta tecnica recorrente e usual do copy paste de fotografias,musicas,textos e conteudos é triste e vazia de juizo.Compreendo que queiram partilhar algo que vos tenha suscitado interesse, mas apresenta-lo de forma seca e desprovida de significado é o mesmo que nao fazer nada.Não tem leitura, nao se compreende.É apenas uma descarga de qualquer coisa que mecheu connosco. Mas será isto racional? Lamento ! Não é! É na sua totalidade emocional. Caros Amigos, aqui começam as grandes confusões a Fé não é uma coisa que vem de uma força maior e gera uma emoção ou uma comoção que nos põe a andar a pé para Fatima como maquinas. A Fé não é emoção, a Fé é Razão.

Caro Bernardo Gomes de Castro espero que o meu comentario nao o desanime tanto como me desanimou o seu artigo.

Rezo pelo recuperar do folego do vosso projecto que tanta companhia me vai fazendo na pausa matinal para café.

Com amizade

Rodrigo de Sousa e Castro

ZMD disse...

Caro Rodrigo, n respondo em nome do Bernardo mas em nomem próprio.

Muito obrigado pelos elogios, mas sobretudo pelas criticas que são justas que são realment ajuda para que nós levemos a sério este trabalho a que no propusemos.

BGC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BGC disse...

Caro Rodrigo:

Muito Obrigado pela seriedade do seu comentário. Agradeço tê-lo feito da forma como o fez: Com preocupação e interesse sincero, não só por este blog quanto por mim. É, de facto, uma grande responsabilidade escrever num espaço como este. Deste lado, por vezes esqueço-me (de certo vezes de mais) disso. É reconfortante que mo tivesse relembrado; que a minha fragilidade não diga a últma palavra sobre o que aqui escrevo

Nosso Senhor manifesta-se de diferentes formas. Porque não na forma de um comentário de um desconhecido? No fundo nada mais fez do que exercer o seu dever de correcção fraterna (que tanto nos é caro).

Quanto a citações da intenet e outas que tais, acredite que não são feitas de forma leviana. Em primeiro lugar, tento citar as fontes oficiais da Igreja, artigos que traduzam a posição apostólica. Depois o facto de publicar uns artigos em deterimento de outros traduz, só por si, uma posição na primeira pessoa. A intenção, não é a de descartar a responsabilidade pessoal do Juizo. A intenção deste espaço é precisamente a contrária. Como dizia o grande amigo don Giussani(que como a si nunca tive a sorte de poder conhecer e trato por amigo), “Comecemos a Ajuizar. Fazê-lo é o início da Libertação.” Ainda assim, torna-se clara a justiça da sua correcção. Se bem entendo o que me quer dizer, será mais leal,verdadeiro e útil, que acrescente a cada citação que faço, o juizo que me levou a fazê-la.

Quanto a este post, em específico, não concordo de todo consigo quando diz ser vazio de significado e pouco útil. Impressionou-me sobretudo a humanidade do Papa.O Santo Padre não é uma pessoa distante da minha realidade. O sucessor de Pedro não se preocupa apenas com as grandes questões da Igreja e do Mundo.O servo dos servos de Deus ,é próximo de mim, ao ponto de apreciar aquelas coisas mais simples como o gosto pelo futebol ou por uma boa piada. Como Jesus sentado á mesa com os apóstolos. È uma humanidade que não deixa de fora nada; Absolutamente nada. A amizade entre o Cardeal Bertone e o Papa Bento XVI não é substâncialmente diferente da minha amizade com o com o Marcos e o Zé Maria, quando nos juntamos para tratar das questões do centro cultural ou do blog; nem da minha amizade com os confrades vicentinos, quando nos encontramos nas nossas reuniões; nem da minha amizade com os meus amigos do movimento sempre que estamos juntos. O facto de Deus se ter feito Homem, torna possível que tudo aquilo que é humano possa ser eterno (ou divino).

Quanto ao facto da fé não ser um sentimento.de a fé não ser contrária à razão, de a fé ser razoável. É indesmentivel e defendido por diversos Papas e santos ao longo da história da Igreja. Aprendi também com don Giussani (Sentido religioso) que a razão (no sentido cristão do termo) corresponde ao conhecimente da realidade segundo a totalidade dos factores que a constituem.” Digo eu :Não deixa nada de fora; antes põe tudo em prespectiva; no seu devido lugar.

Agora, o afecto pela pessoa do Santo Padre e o desejo de o conhecer, de querer conhecer a sua humanidade não me parece contrária nem à fé nem á razão. É como quando conto histórias do meu pai... Como ele gosta do Sporting; como sabe de história; como tem graça. Não contraria a razão, antes nasce dela. Da consciência da importância do meu pai para a minha vida. Da gratidão que lhe tenho. Assim é com o Papa

As críticas que aqui me faz, antes de me desanimarem, incentivam-me a continuar a minha humilde contribuição neste espaço com uma consciência renovada. Muito Obrigado pelas suas orações. Peço-lhe que continue a rezar por nós e por este espaço de missão. Não deixe nunca de cumprir fielmente,o seu dever de correcção fraterna.

Um Abraço amigo,
Bernardo

Anónimo disse...

Carissimos,

Peço desculpa por me intrometer em conversa a lheia mas, caro Bernardo, o seu comentário leva-me a colocar a questão: só agora descobrio que o Papa é um homem? Que como tal tem sentimentos, gostos, etc.

A leitura deste post, não me deixa descordar com o autor do primeiro comentário. Parece-me desprovido de qualquer razão. Lamento dize-lo, mas não me parece que alguém que queira aprofundar a sua fé, lhe interesse de forma absurda ou em primeiro lugar, o sentido de humor do Papa. Isto parece uma noticia de jornal português do género d'"O Crime".Este lugar torna-se com posts destes uma espécie de 24horas da religião. Não gosto de me concentrar em questões de conversa de café, ou seja, se o papa gosta de futebol, ou de golf. Se ouve muita música ou se fala muito ao telefone. A minha educação é tradicional e desde sempre fui ensinado a respeitar o Papa. Não só a respeitar como a obedecer e a seguir! Pouco me importa o que se diz dele.
E já agora pergunto-lhe: torna-o mais católico saber que o Papa gosta ded futebol e conta anedotas?
Nem o gosto do Papa pelo futebol ou o seu sentido de humor é possivél de ajuizar, nem interessa.
E já agora, se Giussanni diz "Comecemos a Ajuizar. Fazê-lo é o início da Libertação.”" porque se limita a fazer copy paste? Giussani diz para ajuizar, ou seja pensar, usar a razão. Bem sei que isso talvez exija uma grande capacidade humana, mas para mim parece-me uma acção bastante simples, mas que exige um olhar para a realidade e não um fechar-se a ela, ou seja limitar-se a ficar preso.

Com um desejo enorme de que não leve este comentário a mal, nem que o tome por mera agressividade, (bem sei que tenho esse efeito na escrita: é algo habitual)pois não há em mim qualquer agressividade, mas sim uma enorme interrogação desejo-lhe
os maiores cumprimentos

Vasco Baptista

ps.: e já agora, seguindo o exemplo de Sócrates (o da Grécia Antiga), eu interrogo para saber a verdade. Não única e simplesmente para deitar a baixo ou para ganhar qualquer tipo de discussão! Por isso mais uma vez lhe digo, para não ligar ao tom agressivo, que não existe, se tal o parecer.

ZMD disse...

Caro Vasco,

este blog é feito por três amigos especialmente para os nossos amigos da nossa idade ou mais novos. Por isso tentamos fazer três coisas:

1ª - Ajuizar as coisas a nossa volta. Ou seja, ajuizar tudo aquilo que nós vivemos. Por isso tentams fazer as coisas com simplicidade, para nã cair no ridiculo de falarmos de coisas que não percebemos.

2ª - Falarmos das coisas que a nós nos comovem.

Não que nós não soubessemos que o Papa é humano. Mas voltar a perceber que os grande santos que Deus concede À Igreja são pessoas como nós é como descobrir uma vez mais a nosso própria vocação à santidade.

3ª Por fim assumimos como finalidade clara dar a conhecer aquilo que a Igreja diz de si mesma.

Esta necessidade nasce do facto de muitos dos nossos amigos que vem a este blog terem a nossa idade e as noticias que sabem da Igreja e o que lem nos jornais e vêm na televisão.

Percebemos que, para pessoas que estão mais a frente do que nós este blog as vezes seja chato ou infantil. Mas nada do que nós aquimos postamos é por acaso ou para encher espaço.

Anónimo disse...

Carissimos...
24 Horas Beato. Como diz com razão Vasco Batista.
É a Realidade.
90% dos vossos Posts nao tem cunho próprio.
Uma vergonha.
Dizem que fé é razão.
Mas depois escrevem a dizer que é muito bonito o Papa gostar de futebol.
Não será Normal?
Bernardo antes de mais:
Você nao sei se ja reparou, vive no Planeta Terra, em Portugal, aolado tem um país que se chama Espanha. está rodeado de Milhões de pessoas,muitas são Catolicas, infelizmente neste país somos cada vez menos,as pessoas têm gostos variados, ha os que gostam de futebol, culinária, politica, andebol, volei etc... essas pessoas tambem têm responsabilidades no Mundo, directores das multinacionais, Bancos, companhias de seguros cargos politicos ou simplesmente pais de familia.
Nao me parece isto estranho.
Este vosso post demonstra que o Bernardo é uma pessoa sem atenção à realidade do Mundo de hoje, virada unica e exclusivamente para dentro do Movimento Comunhão e Libertação e para a beatisse!
Acho muito bem que seja Catolico, mas beato? A este nivel afasta-o do Mundo.
só agora percebeu que o Papa é humano?
Triste, patético, ridiculo e desarticulado da realidade.
Os senhores faziam bem era em abrir os olhinhos ao Mundo, deixar de olhar para o proprio umbigo, fazer artigos de intervenção que provem que a Igreja está presente no Mundo e atenta à miseravel governação a qual estamos a ser sujeitos e vitimas.
So assim conseguem fazer do vosso movimento uma coisa atractiva.Assim não atraem muita gente de certeza.
Parem com o Copy Paste, essa tecnica como diz Rodrigo Castro é miseravel, e fecha-vos cada vez mais a voces proprios, perdem espirito critico, e bagagem na analise da vida quotidiana.
Percam essa mania e pretensão de que sabem ajuizar. Nao sabem ajuizar coisa nenhuma, copy paste nao é ajuizar é copiar!Os senhores nao ajuizam, copiam. Sabem quanto teriam como alunos na cadeira que lecciono? Zero! Façam, como Dom Giussani vos ensinou, e nao inventem.
Nao é por escolher um texto em vez de outro
que se faz um Juizo. Um juizo exige mais,exige esprito critico, atenção ao mundo e olhinhos bem abertos. Os senhores Fecham os olhos ao Mundo... Copiam. Ao menos é coerente.

Mais do que diz Rodrigo Castro Eu espero que a minha critica nao o desanime tanto como me desanimou o seu artigo e a sua resposta.
Quando tem que escrever copia, quando tem de responder nao so desilude como duvido que tenha respondido a Rodrigo Castro.

Parem com Isto. Tou farto de copias e piratarias, se for preciso fechem este blog, eu ate podia deixa de ca vir, deixar de ser critico, mas nao admito que os catolicos de este pais se façam de atadinhos, se fechem ao Mundo e as suas preocupações base. Que passam pela conversão de um Mundo cada vez mais Ateu e protestante. Este Blog Assim nao acrescenta nada ao Mundo Catolico, Copia!Copiar é mais do mesmo!
Querem converter alguem sem testemunhar?
Acordem.
Nao me parece que este seja um testemunho nem humilde nem serio nem verdadeiro.É pretencioso e falacioso.
Por isso comecem a escrever e deixem de copiar.

Depois falaremos dos fruto.

Cumprimentos

Pedro Pereira da Costa

ZMD disse...

Pedro, para quem não gosta há muito.

As criticas que nos fazem que quer simplesmente que este espaço melhore, merecem da nossa parte todo o respeito e, como o Bernardo já respondeu, até agradecemos.

As criticas feitas simplesmente por quem não gosta deste blog a não nos interessam.

Anónimo disse...

Sigo ha muito o blog.
Nunca falei neste tema por timidez.
Mas visto que se toca na frida, nao posso deixar de subescrever o que diz o Dr.Rodrigo de Sousa e Castro, Vasco Batista e Dr.Pedro Pereira da Costa.

Um Abraço

Rodolfo Antunes

BGC disse...

Caros Vasco, Pedro e Rodolfo:

Parece-me, sinceramente, que os comentários que aqui fazem, ultrapassam em muito, o nível da crítica construtiva que o Rodrigo me fez em primeiro lugar.

Não me parece puramente "Triste, patético, ridiculo e desarticulado da realidade", muito menos beato e sentimental postar uma notícia sobre o Santo Padre como aqui fiz.

Não sei se compreendem que estamos do mesmo lado. Só cria desunidade na Igreja, fazê-lo da forma como o fazem.

Se a notícia é de pouco interesse. Não acham que estão a valorizá-la de mais? Não vos parece desproporcional?

Se não gostam, juntem-se e abram um blog vosso para "fazer artigos de intervenção que provem que a Igreja está presente no Mundo e atenta à miseravel governação a qual estamos a ser sujeitos e vitimas." Fariam um melhor serviço do que insistir numa polémica infertil.Que nãoo vou continuar a alimentar.

Tudo o que tenho a dizer em relação ao post está na resposta que tentei dar Rodrigo.

Cumprimentos,
Bernardo

Anónimo disse...

Caro Bernardo,

Tem o meu apoio. Espero que continue a escrever, tal como o Zé Maria.
Tenho o maior gosto em combinar um café convosco, se possível e se concordarem direi ao meu sobrinho também.
Gosto do blogue, por isso o leio diariamente.
Fiz o reparo que entendi necessário porque me pareceu um erro grave. Não por arrogância ou convencimento das minhas capacidades. Há muito que me sei frágil, pobre, pecador. Peço a Deus que me clarifique a consciência a fim de saber que sou pequeno. Mas defender a Doutrina da Santa Igreja faz-me sentir grande! Porque a beleza e a perfeição da Fé Católica é o que de mais caro tenho nesta vida.

Com os melhores cumprimentos,
Luís Rebello Valente

BGC disse...

Luís,

Obrigado pelas simpáticas palavras dirigidas a mim, ao zé maria.

Mas parece-me, claramente, que a conversa, há muito tinha passado as fronteiras de um blog, e de um comentário.

Não lhe sei responder a tudo, como não sei responder a tudo sobre a doutrina da Igreja. Isso não tira o desejo de a conhecer, de a seguir e de a amar.

Esteja certo que o meu Amor à pessoa de Cristo (sempre limitada claro está), e é um dos frutos da pretença à Igreja, seguindo D. Giussani.

Agora, de uma coisa estamos certos: "Senhor onde iremos, só Tu tens palavras de vida eterna?"

cumprimentos,
Bernardo

Anónimo disse...

Meu Caro Bernardo,

Admito que a conversa tenha extravasado o âmbito de um post. Mas, ainda assim, continuo a aguardar uma resposta vossa. Ninguém aqui tem a pretensão de conhecer tudo sobre a Doutrina da Igreja.
Mas, estão em causa afirmações graves, porque contrárias à Fé de sempre. Reconheço que posso estar a interpretar erradamente Monsenhor Giussani. E, por isso, peço o vosso esclarecimento.

Anónimo disse...

Esqueci-me de assinar.

Luís Rebello Valente

Anónimo disse...

Tou a ver que nao fui o unico a não ser respondido.

Abraço

Rodolfo Antunes

BGC disse...

Caro Rodolfo:

Tem toda a razão. Não que eu o não tenha feito, mas assumo que fiz, no seu caso, de forma desadequada.
Peço-lhe desculpa.

Peço-lhe também que leia a resposta que dei ao Rodrigo (2º comentário).

Gostava de esclarecer que o facto de desde o início deste Pontificado me ter impressionado com a Humanidade de Bento XVI, nada tira à objectividade do seu Magistério. Ou seja: quer goste mais, quer goste menos, devo-lhe sempre respeito, fidelidade e obediência (especialmente em matéria de fé).

Abraço,
Bernardo

Anónimo disse...

Caro Bernardo,

Em matéria que não seja de fé, ninguém deve obediência ao Papa. O advérbio que introduz é mais uma das mil e uma variantes semânticas que o Bernardo e o Zé Maria arranjam para reafirmar uma posição errada.

Enquanto homem, o Papa não tem de ser obedecido. Pode ser seguido. Deve ser respeitado. Mas não existe nenhum dever de obediência.
A humanidade do Papa é algo de irrelevante!

No século XIX, quando foi eleito Pio IX, julgou-se apressadamente que o novo Papa seria maçon e que favoreceria o liberalismo. E, de facto, os seus primeiros actos foram extremamente liberais, o que levou os carbonários de Itália a bradarem cotinuamente: «Viva Pio IX!».
São João Bosco, que vivia então em Turim, com a sabedoria e o discenimento próprios dos santos, ordenou aos seus alunos que jamais gritassem «Viva Pio IX», mas sim «Viva o Papa!». Com isto, D. Bosco desfazia a manobra carbonária. Devemos gritar sempre «Viva o Papa», pouco importando o nome daquele que está no trono de Pedro. Seja ele santo ou pecador, devemos manter ao Papa a nossa devoção filial e a nossa fidelidade a tudo o que ele ensina enquanto legítimo sucessor de Pedro e com o poder das chaves.

Cumprimentos,
Rodrigo de Lancastre e Souza Villa-Lobos de Vasconcelos e Noronha

ZMD disse...

Caro Rodrigo, caso se desse ao trabalho de ler o que o Bernardo escreveu perceberia que quando ele fala de obediência fala em relação ao magistério de petrino...

ZMD disse...

Deve-se ler Magistério de Pedro ou Magistério Petrino, e não magistério de petrino.

Peço desculpa pelo erro.

Luís Rebello Valente disse...

«Ou seja: quer goste mais, quer goste menos, devo-lhe sempre respeito, fidelidade e obediência (especialmente em matéria de fé).»

O que aqui está dito não remete para o Magistério de Pedro.
O que se diz é que os católicos devem sempre respeito, fidelidade e obediência ao Papa, com especial incidência nas matérias de Fé.
Ora, isto é mentira.

Com os melhores cumprimentos,
Luís Rebello Valente

BGC disse...

Caros Senhores,

Com o devido respeito, a boa fé dos vossos comentários começa a ser duvidosa.

Não me referi a "os católicos em geral", referi-me a mim. "quer goste mais, quer goste menos, devo-lhe sempre respeito, fidelidade e obediência (especialmente em matéria de fé).»

Por isso eu, Bernardo, digo:" Viva Bento XVI"

Os católicos devem respeito ao Magistério de Pedro. "nada tira à objectividade do seu Magistério"

Por isso todos dizemos: "Viva o Papa"

Todos queremos dizer a mesma coisa sobre este assunto. Esta conversa tornou-se numa conversa de surdos. Este é o meu último comentário neste post.

São João Bosco,
Rogai por nós.

cumprimentos,
Bernardo