sexta-feira, outubro 15, 2010

A Vergonha do PS.

Foi hoje apresentada a versão preliminar do Orçamento de Estado para 2011. Só para não esquecermos, o Orçamento de Estado é apresentado por um governo que tenciona começar a construir um TGV em 2011, que autorizou o aumento de salários dos administradores de empresas públicas para o dobro, que construiu ou renovou 100 escolas este ano, que (por ajuste directo), encomendou milhares de computadores para crianças, por um governo cuja as medidas foram ineficazes para abater a despesa pública e tem sido incapaz até agora de travar o desemprego.

Este mesmo governo propões passar o IVA de 6 para 23% dos seguintes produtos:

- Leites achocolatados, aromatizados, vitaminados e enriquecidos

- Bebidas e sobremesas lácteas

- Refrigerantes, sumos e néctares de fruto ou de produtos hortícolas, incluindo xaropes de sumos, as bebidas concentradas de sumos e os produtos concentrados de sumos

- Utensílios e outros equipamentos exclusivamente ou principalmente destinados ao combate e detecção de incêndios

E de 13 para 23% destes produtos:

- Conservas de carne e miudezas comestíveis

- Conservas de moluscos, com excepção das ostras

- Conservas de frutas ou frutos, designadamente em molhos, salmoura ou calda e suas compotas, geleias, marmeladas ou pastas

- Conservas de produtos hortícolas, designadamente em molhos, vinagre ou salmoura e suas compotas

- Óleos directamente comestíveis e suas misturas (óleos alimentares);

- Margarinas de origem animal e vegetal

- Aperitivos à base de produtos hortícolas e sementes

- Aperitivos ou snacks à base de estrudidos de milho e trigo, à base de milho moído e frito ou de fécula de batata, em embalagens individuais

- Flores de corte, folhagem para ornamentação e composições florais decorativas. Exceptuam-se as flores e folhagens secas e as secas tingidas

- Plantas ornamentais.

Ou seja o preço do pequeno almoço de uma família que os filhos bebam leite com chocolate, onde todos comam pão com manteiga ou marmelada pode chegar a custar mais 17%. Uma família que se dê ao luxo de comer atum com feijão frade, bacalhau com grão, salsichas com ovo e batata pagará por boa parte da refeição mais 10% em 2011.
Isto numa altura em que a taxa de desemprego está ligeiramente acima do 11%, o IVA já foi aumentado e a comparticipação dos remédios vai diminuir.
Daqui posso tirar uma de duas conclusões: 1 O governo quer de facto que o orçamento seja chumbado para ter razão para se demitir. Assim passa o problema para as mãos de outros, tendo uma desculpa para o descalabro que provavelmente se seguirá ao chumbo e passando a culpa para outros. 2 O governo não tem força, capacidade ou engenho para arranjar soluções (ou diminuindo a despesa ou aumentado a receita de forma menos danosa para os consumidores mais pobres) e por isso recorre a uma solução "fácil" para tentar tapar o buraco que criou.

Se uma destas duas conclusões for correcta não posso deixar de me lamentar o estado a que o Partido Socialista chegou. Embora eu, com os meus escassos anos, nunca tenha sentido grande afeição pelo PS não posso deixar de reconhecer que teve no seu meio grande políticos e estadistas. Homens que de várias maneiras tentaram servir o país o melhor que sabiam e podiam. Tudo isto para ver o seu partido transformado num antro de politiqueiros e caciques, que durante 5 anos se foram entretendo a gastar dinheiro e a fazer engenharias sociais para dar um ar de modernidade ao país. O resultado? Um país em ruínas e a beira do abismo que eles não querem e não sabem governar.

1 comentário:

Tiago disse...

Infelizmente não posso deixar de concordar...